Para imprimir é necessário habilitar o pop-up Enviar a notícia por e-mail
Aumenta a fonte 
Aumenta a fonte 
Brasil
Projeto do Corredor Bioceânico é discutido por quatro país em Assunção
09/05/2017 - 13h01

Brasília - O projeto de construção do Corredor Bioceânico Rodoviário foi discutido nesta terça-feira, 2, em Assunção, por autoridades da Argentina, Brasil, Chile, e Paraguai. Este é o segundo projeto que vem sendo negociado na região para integrar os oceanos Atlântico e Pacífico. Em outro projeto, Brasil, Bolívia, Chile, Paraguai e Peru, buscam formas de viabilizar a construção de um corredor ferroviário.

De acordo com a chancelaria paraguaia, o projeto debatido em Assunção conectará por via terrestre as cidades de Campo Grande e Porto Murtinho, no Mato Grosso do Sul, os municípos paraguaios de Carmelo Peralta, Mariscal Estigarribia e Pozo Hondo, e as cidades argentinas de Misión La Paz, Tartagal, Jujuy e Salta, à localidade de Mejillones, em Iquique, no Chile.

Segundo comunicado do governo paraguaio, durante as reuniões foram tratados temas como as obras necessárias para as infraestruturas viárias e a construção de pontes e portos e as melhoria das passagens fronteiriças e controles alfandegários, além da proteção fitossanitária e migratória nas zonas limítrofes.

Esta foi a quarta reunião de uma série de eventos que teve início há pouco mais de um ano. Já foram realizados encontros em Antofagasta, no Chile, Campo Grande, no Brasil, e Jujuy, na Argentina. Em Assunção, participaram representantes dos ministérios de Infraestrutura, Obras Públicas e das Relações Exteriores dos quatro países. Na oportunidade, ficou decidido que ambos os países irão trabalhar para impulsionar e acelerar os estudos técnicos e apresentar as recomendações para a construção do Corredor Bioceânico Rodoviário.

Além das reuniões em Assunção, as autoridades dos quatro países também realizaram uma visita às cidades de Loma Plata e Filadelfia, no Chaco paraguaio.

Ainda não há uma estimativa de custos para as obras e de como financiá-la. Em relação ao corredor ferroviário encabeçado pela Bolívia, Alemanha e Suíça demonstraram interesse em investir no projeto. Os governos da Bolívia, do Paraguai e do Peru iniciaram em março a avaliação técnica do projeto de construção da ferrovia bioceânica.