Para imprimir é necessário habilitar o pop-up Enviar a notícia por e-mail
Aumenta a fonte 
Aumenta a fonte 
Brasil
Produtores europeus querem excluir carne bovina das negociações UE - MERCOSUL
22/03/2017 - 16h23

Brasília - A deflagração da Operação Carne Fraca pela Polícia Federal já produz resultados negativos para o setor agropecuário com o embargo da carne brasileira por diversos países como China, Chile, Suíça e Hong Kong e agora produtores europeus pedem que a carne seja excluída das negociações para o Tratado de Livre Comércio União Europeia – MERCOSUL.

Apesar dos esforços do governo em assegurar que a carne não oferece riscos à saúde dos consumidores, o clima é de dúvidas e apreensão, inclusive entre os empresários. Muitos acreditam que também as carnes de porco e frango serão embargadas internacionalmente.

Na semana que vem, o Comissário da UE para a Agricultura, estará em Brasília para conhecer detalhes acerca da operação e das providências adotadas pelo governo federal. A crise já registra queda no consumo de carnes também no mercado interno.

Industriais franceses lideram o movimento para que a carne fique de fora das negociações. Antes da crise, a França já resistia a negociar o TLC. Com as revelações feitas pela PF, a tendência é que a situação se complique e o tratado atrase ainda mais. Os dois blocos negociam desde 1999.

O presidente da Associação Francesa Interprofissional de Gado, Dominique Langlois, enviou carta à Comissão Europeia cobrando um posicionamento do bloco e pedindo que não haja precipitações em relação às negociações com o MERCOSUL. “Exigimos imediatamente a exclusão da carne de qualquer acordo com o MERCOSUL”, afirmou.

Ele lamentou ainda que “a atitude da Comissão Europeia, apesar da crise que afeta todo o setor, parece determinada a abrir cada vez mais o mercado francês às carnes das Américas, ainda que os sistemas de produção não estejam em sintonia com os níveis comunitários”.

No ano passado, a União Europeia importou 110 mil toneladas de carnes brasileiras, sendo 26 mil de carne fresca refrigerada, 40 mil de carne congelada e 44 mil de carne preparada.