Para imprimir é necessário habilitar o pop-up Enviar a notícia por e-mail
Aumenta a fonte 
Aumenta a fonte 
Mundo
Bolívia quer certificação de países consumidores de drogas pela CELAC e UNASUL
14/03/2017 - 14h03

Brasília - O presidente boliviano, Evo Morales, quer que a Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC) e a União das Nações Sul-Americanas (UNASUL), certifiquem os países consumidores de drogas, a exemplo que já faz os Estados Unidos. Morales quer ainda que a comunidade internacional reveja suas concepções acerca da folha de coca.

A proposta é uma resposta ao governo norte-americano que se opõe completamente a qualquer tipo de legalização de drogas ou mesmo do consumo terapêutico da folha de coca. A Bolívia estaria entre os principais países alvos de Washington.

Segundo Evo Morales, “eles têm o direito a nos certificar sobre a luta contra o narcotráfico, os cultivos de coca e nós não temos o direito de também fazer um certificado sobre o mercado. Na UNASUL e na CELAC vamos defender que nós tenhamos esse direito, de certificar os países consumidores de drogas”, disse.

Na sua avaliação, alguns governos “fomentam o narcotráfico” e não põem fim ao mercado das substâncias ilícitas, razão pela qual também têm responsabilidades na luta antidrogas.

“Os Estados Unidos com semelhante tecnologia como não consegue controlar o narcotráfico, como não conseguem controlar o sigilo bancário, que medo têm? Até eu posso imaginar que vivem do narcotráfico, por isso não acabam com esse mercado”, concluiu.