Brasília, 11 de dezembro de 2018 - 06h01
CNI critica MERCOSUL e UE por não celebrarem acordo de livre comércio

CNI critica MERCOSUL e UE por não celebrarem acordo de livre comércio

01 de agosto de 2018
por: InfoRel
Compartilhar notícia:
Brasília – A Confederação Nacional da Indústria (CNI) criticou o MERCOSUL e a União Europeia (UE) por não celebrarem o acordo de livre comércio que vem sendo negociado desde 1999. Para a entidade, os dois blocos “perderam uma oportunidade estratégica”.

Na visão do setor produtivo, o acordo é essencial para que ambos os blocos possam promover a integração do comércio internacional. A CNI informou ainda que a indústria brasileira seguirá a agenda de negociações com mercados como Canadá, EFTA, Japão e México. O acordo de livre comércio permitirá, por exemplo, a eliminação gradual de tarifas de importação hoje aplicadas pela União Europeia a produtos brasileiros, defende a CNI.

“A indústria brasileira, assim como seus parceiros do MERCOSUL, esteve muito engajada e flexível nas negociações em torno de um entendimento entre MERCOSUL e a União Europeia e considera que o fechamento de um acordo de livre comércio entre os dois blocos é fundamental para garantir uma maior integração no comércio internacional. O acordo também é importante para recuperar a competitividade industrial e promover o mercado tanto para o MERCOSUL quanto para o empresariado europeu”, informou a entidade.

Para a Confederação Nacional da Indústria, os dois blocos perderam uma oportunidade estratégica ao não celebrarem um acordo político na reunião entre ministros realizada no dia 19 de julho, em Bruxelas, “sobretudo pela pouca flexibilidade do bloco europeu”, assinala a CNI.

“A União Europeia não demonstrou a flexibilidade necessária e apenas apresentou propostas e demandas antigas. Na visão da indústria, os europeus estão perdendo uma oportunidade estratégica em um momento em que o populismo e o protecionismo estão crescendo no mundo”, afirmou o diretor de Desenvolvimento Industrial da CNI, Carlos Abijaodi.

No entanto, a entidade ainda acredita que o acordo possa ser concluído antes do final do ano. O acordo político é um passo definitivo em direção ao fechamento do tratado de livre-comércio, que passaria a depender de ajustes técnicos. Abijaodi revelou ainda que a indústria mantém o compromisso com a abertura econômica por meio de acordos comerciais e trabalhará para o aprofundamento dessas negociações também com os países da América do Sul.

Assuntos estratégicos

Senado paraguaio posterga para 2019 análise de leis contra o crime organizado

Senado paraguaio posterga para 2019 análise de leis contra o crime organizado

O Senado do Paraguai postergou para março de 2019 a análise de três projetos de...
Paraná inaugura Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública

Paraná inaugura Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública

Na última terça-feira, 4, a governadora do Paraná, Cida Borghetti, e o ministro...
Brasil defende aprovação de lei que congela bens de terroristas

Brasil defende aprovação de lei que congela bens de terroristas

Brasília – O futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, defendeu nesta...
Paraguai intensifica combate a grupos criminosos do Brasil

Paraguai intensifica combate a grupos criminosos do Brasil

Brasília - O governo do Paraguai intensificou o combate das ramificações das...
Radares aéreos são instalados para combater tráfico de droga e armas

Radares aéreos são instalados para combater tráfico de droga e armas

Brasília - O Brasil vai instalar três radares aéreos para o controle de voos de...
Governo brasileiro oficializa extinção da binacional espacial criada com Ucrânia

Governo brasileiro oficializa extinção da binacional espacial criada com Ucrânia

Brasília - O governo brasileiro encaminhou ao Congresso Nacional a Medida Provisória...
ABIN defende constitucionalização da Inteligência e alerta para ameaças

ABIN defende constitucionalização da Inteligência e alerta para ameaças

Brasília – O Diretor-Geral da Agência Brasileira de Inteligência,...
Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Brasília – Com cerca de 30 instalações nucleares e 3.000 fontes de...
Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasília - A Agência Brasileira de Promoção de Exportações...
Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Brasília – Apesar do anúncio feito pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro, de...